• Taís Fagundes

A história do Halloween

"I'm glad that I live in a world where there are octobers."

Desde sua origem, o Halloween é celebrado no dia 31 de outubro, data que marca o Samhain (lê-se SOUEN), o início do outono no hemisfério norte e a véspera do dia de todos os santos. Os celtas não deixaram registros escritos. Histórias e tradições são passadas oralmente de geração em geração.


Halloween é celebrado no dia 31 de outubro. Conhecido como “Dia das Bruxas” no Brasil. Esta data é muito especial nos Estados Unidos e também para àqueles que adoram os aspectos culturais da língua inglesa.


Halloween é uma comemoração que marca o fim da época de colheita e o início da época fria do ano nos EUA. A palavra Halloween vem de Hallows’ eve. "Hallow" é um termo antigo para "santo" e "eve" significa "véspera". O termo significa: noite anterior ao dia de todos os santos.


Os celtas acendiam fogueiras e faziam banquetes, mas eles não comiam. A mesa era para os espíritos que estavam vagando pela terra. Eles se vestiam de anjos e iam de casa em casa pedindo comida para pessoas. E em troca da comida eles ofereciam um poema ou uma música.


Com a chegada das religiões católicas, a prática foi sendo substituída por crianças indo de casa em casa pedindo doces e em troca elas faziam uma oração. O que evoluiu para o trick or treat (doces ou travessuras) de hoje - que é quando as crianças se fantasiam e vão de casa em casa pedindo doces.


Os celtas acreditavam que, durante essa noite, os espíritos vagavam livremente sobre a terra e que as colheitas e as comidas economizadas para o inverno poderiam ser destruídas. As máscaras e fantasias ajudavam a enganar os espíritos, que não reconheciam os humanos e continuavam vagando pelo mundo sem incomodar.


Atualmente, o Halloween é fortemente marcado por doces (muitos doces), festas à fantasia com temáticas de bruxas, zumbis, esqueletos, morcegos e tudo que for assustador.


BOO! :-)


© 2020 by Taís Fagundes