• Taís Fagundes

Bate-papo com cultura: Venezuela

Hoje, 30 de julho, recebemos no Bate-papo com cultura o venezuelano Miguel Guerra, professor de espanhol, que nos narrou aspectos culturais importantes e tradicionais da cultura venezuelana. Vem conferir o resumo!


*vídeo está disponível no IGTV do meu instagram.

AREPA & HARINA PAN

Tão importante quanto o pão francês na mesa do brasileiro, está a arepa para a Venezuela e para a Colômbia. As AREPAS são tortilhas de milho branco (ou amarelo) que se recheiam com frango, carne desfiada, queijo, guacamole, ovos mexidos, etc. A farinha mais querida para fazer este preparo é a Harina Pan, que é um tipo de farinha de milho pré-cozida.


PABELLÓN

É o prato típico da Venezuela. Feito com carne mechada (carne desfiada),

caraotas negras (feijão preto) e arroz blanco (arroz branco).

Pode estar acompanhada de banana da terra frita.


Raspado

São vários gelos picados com calda de vários sabores.

Tem denominações diferentes, dependendo do país.


Tostone (Patacón)

Feito de pedaços de bananas verdes fritas. É um prato popular em muitos países além da Venezuela, como por exemplo na Colômbia.


Frescolita

É uma marca de refrigerantes produzida pela The Coca-Cola Company

para o mercado venezuelano. Frescolita é fabricado no sabor cola.


Caribe na Venezuela

Sim, a Venezuela tem caribe. Com típicas praias com palmeiras, areia clara e

características bem próprias. Como a Isla Margarita.


Artistas da Venezuela

Música

Simón Diaz

Zapato 3

Los amigos invisibles

Caramelos de Cianuro

Gustavo Dudamel


Filmes

Azul e não tão rosa

El manzano azul


Nomes de alimentos que são diferentes na Venezuela

Cambur - banana

Lechoza - papaia

Patilla - melancia

Caraota - feijão


SUGESTÕES PARA SABER MAIS

sobre A VENEZUELA

Pesquisar sobre a cachapa, a bebida malta venezolana e

uma dica também foi o restaurante Santa Arepa (em Porto Alegre).


Miguel comentou sobre as formas diferentes de dizer pipoca em espanhol. Confiram:


Clique aqui para ver o perfil

do programa de Espanhol

do Miguel Guerra.


© 2020 by Taís Fagundes