• Taís Fagundes

Fragmentos...

Desde quando eu e as temáticas de COMUNICAÇÃO nos encontramos?

Analisando fatos, desde o 5º mês de gravidez da minha mãe, escutando a voz dos meus pais. Aliás, meu pai que escolheu meu nome: Taís. A Taís do Luiz... a sonoridade que continuara a me acompanhar (is/iz).


O processo de aquisição da língua portuguesa foi simples e natural, por escuta e repetição. Muitas histórias eram contadas e lidas antes de dormir. Fora os meus questionamentos curiosos, como a natureza de toda criança.


Adorava o dia da semana de trocar livrinhos na biblioteca. Fã da Bruxa Onilda, me divertia nas narrativas e lia repetidas vezes. A leitura me acompanhara sempre.


Fui crescendo e aumentando a minha coleção de histórias: sejam as lidas ou vividas. Aumentando o número de folhas e rascunhos. Sejam com lápis ou giz de quadro negro (ou era verde?).


“-Senta aqui que eu vou te ensinar”, eu dizia para os meus pais. E com o desenvolvimento da minha oratória, ia construindo minha comunicação, que me levou a iniciar a carreira profissional na docência.


Aos 13 anos, iniciei a aprendizagem do idioma inglês. E até hoje, nunca terminou (não vai terminar). Como trata-se de um segundo idioma, vai sempre requerer atenção. Talvez não na mesma dosagem de horas dedicadas anos atrás, mas vai...


Foram 6 anos em contato com a língua inglesa para que eu me sentisse “dona do campinho”. E mesmo já tendo atingido esse título, continuei na prática por mais 4 anos, até que planejei e realizei o intercâmbio para Nova Zelândia. Lá foi onde eu pude testar toda teoria e inglês bem educadinho que aprendi. Foi demais!


Depois dos 10 anos imersos no inglês, fui me aventurar no espanhol e fiquei enamorada imediatamente. Meu contato com o espanhol em ensino regular foi na graduação e estava desenvolvendo bem despacito. Resolvi investir em um curso de 1 ano, com a professora Ana Paula Grison, e a evolução foi significativa: do portunhol ao espanhol em 12 meses.


Falando em professores marcantes, estes sim têm papel fundamental no processo de aquisição de linguagem. Assim como a Professora Ana Paula, que me levava além do livro e da sala de aula (eu viajava na cadeira por entre suas histórias dos países hispanohablantes), um professor pode deixar marcas de medo do erro na vida do aluno (sim, já tive esta experiência em 2003). Isto é assunto para outro momento.


Anos de idiomas + 17 disciplinas na universidade + viagens + participação em cursos, workshops e oficinas... e esse processo nunca termina. Para mim é prazeroso! Sabe por quê? Porque faz parte de quem eu sou. Tem sentido eu estar em contato com estes idiomas. Eles me abrem possibilidades, sacas?


Quando eu falo nas temáticas de EXCELÊNCIA EM COMUNICAÇÃO eu falo no processo de transmissão da mensagem, seja em qual idioma for. Ele segue uma lógica e tem um impacto forte (ou fraco... aí vai depender de você) na sua interação com o outro.


Hoje busco melhorar a comunicação na vida das pessoas abordando assuntos diversos que fazem parte da vida de qualquer indivíduo, de qualquer profissão... afinal, todos queremos ser compreendidos e atingir nossos objetivos.


© 2020 by Taís Fagundes