• Taís Fagundes

O mate & a cultura

Rio Grande do Sul, Uruguai e Argentina compartilham a cultura da erva mate. Aliás, já falamos no blog sobre isso (para ler, clique aqui).

A erva dos hermanos é mais amarga do que a do RS devido ao tempo de processamento. A cuia também tem suas diferenças. As argentinas podem ser mais estilizadas, de alumínio ou porcelana, enquanto a do RS usa o porongo.


Compartilho curiosidades acerca dos detalhes que bons apreciadores de mate têm em comum. Confira:

>> Não mexer na erva. Uma vez feito o mate, não fique mexendo para tentar arrumar a posição da bomba;

>> Não mude a ordem da roda quando estiver compartilhando o mate em grupo, siga a ordem do relógio em sentido horário;

>> Não demore muito para beber o mate. Alguns até dizem que não é microfone. Portanto, beba e fale de forma simultânea;

>> Importante beber o mate até ouvir o som que indica que já não há mais água;

>> Quem arruma o mate, deve tomar a primeira cuia;

>> Não diga obrigada ao finalizar cada mate. Espere até que seja o último para agradecer, sinalizando que você não quer mais tomar;

>> Mate com açúcar? Também é tomado em algumas culturas, por isso pergunte caso tenha dúvida se é o mate amargo ou mate doce;

>> Cuidado com as adições de infusões. Há quem curta colocar chás. Este adicional varia de gosto para gosto.


ATENÇÃO

Em tempos de COVID-19, o compartilhar mate em grupo DEVE ser evitado para o bem de todos. O bom é que há alternativas de cuias menores, para 1 pessoa, que você pode seguir tomando seu mate sozinho e esperando este momento passar para que logo estejamos desfrutando um bom mate com quem queremos bem.


Viva a cultura do mate!






© 2020 by Taís Fagundes